70 anos

Mãezinha

QUERIDA MAEZINHA

Parabéns pelo seu aniversário!

A cada rotação da Terra a gente fica mais velho. A cada minuto passado já estamos mais velhos. Só que quando ficamos mais velhos estamos nos eternizando, pois renascemos a cada ano vivido e hoje é o dia do seu renascimento; e que renascimento!

Fazer 70 anos é mais que um aniversário, é a comprovação de ter vivido sete décadas abençoadas. É mais que uma comemoração; é o ato de reflexão onde não se calcula somente a idade, mas as vitórias, as alegrias, as emoções, os sentimentos e, sobretudo as experiências que lhes serão preciosas, ainda por muito tempo.

Fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus. É brincar de “crescer” e quem sabe mais tarde virar adulto. É ter de novo a vontade de que os sonhos ainda poderão se realizar. É tornar novo o que se fez velho.

Fazer aniversário é poder agradecer a tudo isso. Agradecer pela saúde, pelos infortúnios superados, pelas tristezas esquecidas, pelos problemas resolvidos, pela família, pelos filhos que nunca crescem, pelas pessoas especiais que te rodeiam, enfim, por estar viva.

Também fazer setenta anos, é olhar para trás e olhar para frente. É comparar o passado e o presente. Mas é, sobretudo, dar o maior valor que se possa ao presente, sem apostar no futuro. Porque o único tempo importante é o tempo presente. A vida divide-se em três períodos: o que foi, o que é, e o que há de ser. Destes, o que vivemos é breve, o que havemos de viver duvidoso; o que já vivemos certo.

O futuro repetirá o passado, porque “o tempo não pára”, como dizia Cazuza. E pra você então, mamãe, que se mantém sempre ocupada, cuidando de si e dos que lhe buscam, sabe perfeitamente dar e receber amor e compreensão.

Aos setenta anos, você continua nova. A juventude não é um período da vida; ela é um estado de espírito, uma qualidade da imaginação, uma intensidade emotiva. Não é por termos vivido setenta anos que envelhecemos. Nós só envelhecemos se abandonarmos os nossos ideais. Os anos envelhecem o corpo; renunciar ao ideal envelhece a alma.

Não permita jamais, que seu coração seja atacado pelo pessimismo e corroído pela tristeza. É um erro nos entendermos cronologicamente. Pense em quão maravilhosa é a sua vida aos setenta anos, com a capacidade de ver o mundo de uma forma alargada e serena. Somos como um sonho matinal, transitórios como a erva no campo; assim mamãe, caminhe em direção à sua fonte perene da juventude.

Hoje, Deus lhe presenteia com mais um ano de vida e lhe convoca para uma reflexão mais amiúde, de tudo que você alcançou e superou ao longo desses anos, sem contudo, deixar de contemplar a vida e lembrar a importância de nunca esquecer que continuamos marchando para frente.

Qual é o sentido da vida? Há anos me faço esta pergunta. Talvez seja a busca da felicidade. E felicidade consiste em ser o que se é. É Conhecer e respeitar aquilo que somos. Porque somos únicos. Por um mistério ainda não revelado, somos um universo em nós mesmos, diferentes um do outro mais iguais na essência do sopro divino. Existem algumas maneiras de alcançar a felicidade: para a mim felicidade é poder comemorar este e muitos outros aniversários seus e, juntos podermos dizer: VIVA A VIDA.

 

 

MOther of Mine