A raridade da vida

Singelo

A melhor e maior viagem que podemos fazer na vida, é navegar ou voar de encontro ao mais profundo de nosso Ser… E quanta tempestade, quanto turbulência nesse imenso mar, nesse céu sem fim! “O tempo acelera e pede pressa”, entretanto este é um convite à dispersão. É chegada a hora da grande análise de si mesmo. De se olhar no espelho e ver se quem esta do outro lado é o que você gosta de ver ou se é apenas um esboço do que se pretendia ou uma nódoa enegrecida pelo tempo inclemente. Se suportarmos e permanecermos em nós mesmos, se vivermos no presente, no único tempo que existe, perceberemos que “a vida é tão rara”, apesar de tudo. E é nesse instante de contemplação mística que a vida revela toda a sua beleza. Meu coração anseia a paz e ao ouvir essa música ele repousa.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Paciência (Lenine)

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para…

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber ?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber ?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não…

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber ?
Será que temos esse tempo
Pra perder ?
E quem quer saber ?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não…

A vida não para…